Engenharia Genetica

sexta-feira, março 24, 2006



Uma equipa de investigadores da Universidade de Oxford (Inglaterra) extraiu de uma alforreca um gene que produz uma proteína verde e utilizou-o para criar esperma dessa mesma cor nos testículos de um hamster.

Aqueles animais têm um esperma semelhante ao do homem, sendo um modelo ideal para estudar o desenvolvimento do sémen humano. E o verde florescente é visível no microscópico. Esta técnica torna-se possível a análise detalhada do funcionamento dos genes dos espermatozóides sob diferentes aspectos nomeadamente a função dos genes, que desempenham um papel importante na fertilização e que em caso de terem algum defeito podem ser causa de infertilidade.

Muitas células do corpo humano podem cultivar-se e modificar-se geneticamente em laboratório, mas no caso das células do esperma isso é impossível devido ao seu tamanho e curto tempo de vida que têm fora do corpo. Os cientistas querem estudar o mecanismo através do qual o espermatozóide que penetra num óvulo activa o seu desenvolvimento em embrião.


texto com alteraçoes: http://jn.sapo.pt/2005/09/25/sociedade/esperma_verde_para_estudar_funcao_ge.html